Memória

Porque sinto que há algo em comum entre aqueles violinos tristíssimos de Villa-Lobos que eu escutava quando me mudei para São Paulo e me sentia só, a poça de sangue que vi ao lado de minha avó depois de meu pai tentar ressuscita-la sem sucesso com a ajuda da geriatra e aquela avenida de Porto Alegre por onde passava quando chegava de viagem do aeroporto e sonhava com o aconchego do apartamento onde estaria em poucos minutos. Todas essas impressões estão em minha memória, aflitivamente próximas umas das outras, como que pedindo, implorando mesmo, que eu escute novamente aquele CD, visite o túmulo de minha amada avó ou embarque para Porto Alegre neste exato instante para ao menos passar por aquelas ruas novamente e tentar sentir um resquício das sensações que sentia quando por ali passava (na impossibilidade de alugar novamente e decorar exatamente igual aquele apartamento onde eu e minha mulher vivemos momentos tão felizes, muitas vezes conscientes, tantas sem o saber).

~ by Evandro Ferreira on January 17, 2011.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: