108744128320419593

Sei que o que vou dizer é bem bombástico. Mas, como sei que tem mais gente por aí pensando assim, mas sem coragem de se manifestar, digo eu então, e que eu seja o saco de pancadas, ou não, sei lá. De resto, se o pessoal da “Internet liberal” for mesmo tolerante e defensor da liberdade de expressão como costuma se afirmar, não vai se importar de eu dizer umas verdades sobre eles e, ainda assim, continuar lendo-os de bom grado e aprendendo com eles sobre uma série de assuntos em que estou mergulhado em uma ignorância substancial!

Reaganomics é o tema. De um lado vejo um fulaninho bem inteligente sentando o pau em Reagan:

http://www.mises.org/fullstory.asp?control=1544

Do outro lado, os fulaninhos bem-intencionados-mas-não-raro-equivocados do Mídia sem Máscara endeusando o mesmo presidente.

Não sei, mas tenho a impressão de que a verdade está em algum lugar no meio das duas posições. Não vou com a cara nem da babação de ovo do MSM para com tudo que Bush e os republicanos fazem (embora eu a prefira, de longe, à babação dos esquerdistas com o Clinton); e nem vou com a cara tampouco da posição da galera do Lew Rockwell e do Mises.org, que gosta de dizer aos 4 ventos que a política externa dos EUA gera déficits e representa o crescimento do Leviatã, e que isso é o que importa acima de tudo. Tudo bem, Leviatã cresce. Mas não me parece que os comunistas e os radicais islâmicos estejam se lixando para o livre-mercado. Na verdade, parece que foi justamente a entrada do livre-mercado em “terras sagradas”, aliado a uma espécie de revolução intelectual no islã, que provocou o fenômeno do fundamentalismo e do terrorismo. Parece que os misesianos acham que o free-market resolve tudo no final, mesmo diferenças profundas – e, segundo muitos, até essenciais – entre religiões gigantescas e milenares. Resumindo: o certo é aliar o livre mercado ao fim do terrorismo. Leviatã não cresce, logo o terrorismo e o mal no mundo acabam. Simples, né? É isso que os misesianos defendem. E o pessoal do MSM? Bem, eles são meio contraditórios. Eles defendem o livre-mercado, mas também defendem o militarismo de Bush, que gera gastos do Estado e o transforma em um gigante onipotente. Os misesianos são coerentes e o pessoal do MSM, incoerente? Talvez. Mas, para além das coerências e incoerências, estão as impossibilidades. Não me parece que o livre-mercado vai gerar a paz espontaneamente, nem me parece que a política externa dos EUA vai conseguir resolver todos os problemas do mundo, ainda mais porque o mundo não quer ver que está em apuros. Os EUA, ao que me parece, fazem o que podem, desesperadamente, para salvar 6 bilhões de cegos. E isso pode ser visto como uma beleza, uma maravilha sem ressalvas (é a visão do MSM) ou como o oposto, ou seja, a desgraça suprema, o império do Leviatã (misesianos). E eu fico aqui, mergulhado em minha ignorânciazinha, com a impressão de que a coisa toda é bem mais complexa, como sempre. E que nenhum dos dois lados tem a razão total, como sempre.

É claro que tudo que eu disse aqui sobre livre-mercado aplica-se apenas um panorama externo ao Brasil, já que, por aqui, nem se sabe o que é isso. Defender o livre-mercado aqui no Brasil é começar quase do zero. O mercado que os misesianos falam que não é livre, ou seja, o norte-americano, é um paraíso de liberdade se comparado ao Brasil. Os EUA, mesmo gastando milhões e milhões de dólares com segurança e militarismo, cobram muito menos impostos que o Brasil. Isso é só para complicar um pouco mais as coisas. E olha que eu nem falei das esquerdas! que são o problema principal, contra o qual o MSM, os misesianos e etc se unem, aos trancos e barrancos, na medida do possível.

Em que podemos ter esperanças, quando o assunto é o poder? Em nada. Apenas escolha o lado mais fraco e lute por ele. E, na hora de escolher, você ainda corre o risco de achar que o lado mais forte é que é o mais fraco, como acontece hoje no mundo. Continuo do lado mais fraco, que é justamente aquele que estou criticando neste momento. Mas isso não me impede de desabafar. Afinal, ninguém é de ferro.

Esquerdas, Islã, Leviatã. Bem-vindo ao mundo! E a solução? Bem, acho que quem estava certo era mesmo o Voegelin e o Platão: está todo mundo no metaxo (estarei eu também?), e que Deus nos proteja!

~ by Evandro Ferreira on June 17, 2004.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: