82322313

É impressionante como o discurso das esquerdas já está descaradamente comunista. Só não vê quem não quer. Todos os elementos do discurso comunista estão nesse texto abaixo (que saiu na Caros Amigos): progressismo, misticismo, falso nacionalismo (visto que o objetivo final é o globalismo total e sem limites). E a defesa do regime venezuelano é incrível. Como alguém pode achar que Chávez é um grande governante? É preciso estar muito hipnotizado pela ideologia…

“AS ELEIÇÕES E O PAÍS ELEITO

por Renato Pompeu

O presente artigo pode ter um tom algo místico, mas o autor espera que seja um misticismo materialista e objetivo. Estamos todos nos preparando para votar e é bastante presumível que os leitores e leitoras de Caros Amigos vão votar em massa pela mudança, pelo incentivo à produção, pela redistribuição de renda, em suma, pelo progresso.
Mas tudo isso esbarra nos estreitos limites a que está submetida, hoje, a soberania do Estado, em especial a soberania dos Estados dos países dependentes. Como mostra o exemplo da Venezuela, um governo que queira defender os interesses das grandes massas da população vai ter de enfrentar constrangimentos inevitáveis. Isso por causa da força econômica e do poder político não só dos capitais estrangeiros e dos setores a eles aliados, como também e principalmente dos setores financeiros.
Uma alternativa a essa situação poderia ser um Brasil nacionalista transformado em autarquia econômica. Conscientemente ou não, boa parte das pessoas progressistas que vota ansiando por mudanças anseia por essa alternativa. No entanto, um Brasil desligado do mercado mundial, como tenderam a ser os regimes stalinista, fascista e nazista, se veria rapidamente cercado pelo expansionismo americano, que conta com muitos aliados internos neste País. Os Estados Unidos já mostraram até à exaustão até onde são capazes de ir quando se trata de defender os interesses das multinacionais.
Outra alternativa, e aqui é que entra o misticismo invocado no início deste artigo, aponta para a necessidade e a oportunidade de o povo brasileiro ter sido eleito – pelas circunstâncias estratégicas de sua posição intermediária entre os países mais ricos e os países mais pobres, por ter em seu territórioa reprodução do que há de bom e do que há de ruim em todo o mundo, por reproduzir como que microscopicamente as desigualdades mundiais – para ser o profeta de uma globalização realmente globalizada. Uma globalização que não seja apenas econômica, mas também social e política. Uma globalização que vá defender o incentivo à produção e à redistribuição de renda em escala planetária. Uma globalização baseada no princípio da igualdade de todos os seres humanos do planeta, com um governo mundial eleito pelo sufrágio universal de todos os habitantes da Terra. A democracia em escala mundial é a única maneira de minimizar a arrogância dos militarmente mais fortes. Tudo isso é misticismo?”

Renato Pompeu é jornalista.

~ by Evandro Ferreira on September 30, 2002.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: